Bebê do DF na fila por cirurgia cardíaca faz 7 meses. Risco de sequelas cresce (Jornal Metrópoles)

Enquanto Ana Vitória aguarda, a Justiça expediu pela terceira vez uma decisão para que o procedimento seja realizado imediatamente.

O juiz substituto da 5ª Vara da Fazenda Pública e Saúde Pública do Distrito Federal determinou, nessa segunda-feira (9/11), prazo de 24 horas para que o Distrito Federal e o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) realizem a cirurgia cardíaca que a pequena Ana Vitória Souza Santos, agora com 7 meses, precisa para sobreviver.

Enquanto a decisão judicial ainda não foi cumprida, o estado da bebê só piora. Conforme laudo médico emitido pelo Hospital da Criança de Brasília (HCB) nesta terça-feira (10/11), a menina se encontra com febre e vem perdendo muito peso.

Segundo explica Zilene Souza Lopes, 38 anos, mãe da criança, até o momento ela recebeu apenas um telefonema. “Me ligaram da assessoria do governo perguntando do que minha filha estava precisando. Expliquei a situação pra ela [a assessora], que ficou de ver e me retornar a ligação, mas até agora nada”, lamenta.

A menina completou sete meses de vida nesta semana e o tempo para que o procedimento seja realizado com sucesso só diminui. “Se ela não fazer essa cirurgia logo, vai ficar com algumas sequelas”, desespera-se Zilene.

Terceira determinação judicial

Esta é a terceira decisão judicial favorável à bebê com Síndrome de Down. Desta vez, o magistrado estabeleceu que os responsáveis, inclusive o secretário de saúde do DF, Osnei Okumoto, fossem intimados pessoalmente por oficiais de justiça a cumprir a decisão.

Os hospitais Santa Lúcia e Brasília também foram intimados a fornecer orçamento para realização da cirurgia. Caso haja condição técnica, as instituições devem indicar o valor estimado do tratamento e o número da conta bancária para transferência dos valores. Tudo deverá ser pago pelo GDF.

Caso a decisão insista em ser descumprida, independentemente de nova intimação, o juízo emitirá ordem de transferência imediata para o hospital privado de menor valor e determinará o sequestro de verbas públicas para custear todo o tratamento, internação e transferência hospitalar.

Fonte: https://www.metropoles.com/distrito-federal/bebe-do-df-na-fila-por-cirurgia-cardiaca-faz-7-meses-risco-de-sequelas-cresce